1. Todo mundo pode consumir
Mito. Quem tem pressão alta ou insuficiência renal deve verificar as taxas de 
sódio. "A sacarina e o ciclamato têm níveis elevados dessa substância", diz a nutricionista funcional Luciana Harfenist. Esses adoçantes também devem ser evitados por mulheres com tendência à retenção de líquido. Já o aspartame é proibido para portadores da fenilcetonúria, doença genética que provoca o acúmulo da fenilalanina (composto encontrado nas proteínas) no organismo.


2. Já que tem pouca caloria, posso tomar à vontade
Mito. É importante não exagerar para não ter problemas. "Maneire também nos refrigerantes, iogurtes, bolos e balas diet. Eles também têm bastante adoçante na composição", alerta Luciana. Mas é muito difícil ultrapassar a dose diária recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é bem alta. Veja só: um adulto de 70 kg pode consumir 92 sachês de aspartame por dia ou 105 de sucralose.


3. Faz mal à saúde
Depende. "Se respeitada a dose diária recomendada, não apresenta dano à saúde", diz José Alves Lara Neto, membro da Associação Brasileira de Nutrologia. Para Luciana, por conter substâncias artificiais, só deveria usar quem realmente necessita (diabéticos e obesos): "A longo prazo, podem causar alergias, enxaqueca e mudança no paladar".


4. Stévia e sucralose são os mais recomendados
Verdade. A stévia é natural, então, pode ser ingerida até por gestantes e crianças. Segundo estudos, a sucralose também não apresenta nenhuma ressalva.


5. Dá câncer
Mito. "Não existem estudos científicos concluídos que provem isso", explica o nutrólogo.


6. Engorda
Depende. Adoçantes têm zero ou poucas calorias. Mas há estudos que sugerem que o consumo constante interfere na regulação natural da fome. "Quando comemos um alimento adoçado artificialmente, nosso corpo se prepara para receber um doce, mas esse açúcar não vem. Isso provoca alterações na saciedade e faz com que comamos mais, ou seja, acabamos engordando", afirma a nutricionista.

POSTADO POR: Administrador ÀS 12:02


MARCADORES: Beneficio do alimento

05/5/2014

Xô gordura!

Reforços externos para a dieta e o treinosão muito bem-vindos para a construção de um corpo magro e definido. Mas é preciso separar o joio do trigo. Antes de cair no conto das fórmulas milagrosas (que não cumprem o que prometem e podem até ser perigosas) ou virar presa fácil dos proibidos anabolizantes, conheça as ervas que têm um efeito seguro contra a gordura – para completar o seu projeto de um corpo bonito e saudável:

 

1. Café verde (Coffea robusta) 
Por que funciona:
 o ácido clorogênico presente no extrato impede que o organismo utilize o açúcar dos alimentos como fonte de energia. Assim, o corpo é obrigado a utilizar o estoque de gordura como combustível. E ainda tem cafeína, que ajuda a acelerar o metabolismo. 
Contraindicações: pessoas com hipertensão, hipertireoidismo e gastrite. 

2. Evodia extract Evo (Evodia rutaecarpa Benth) 
Por que funciona:
 o fruto da evodia possui evodiamina, um alcaloide que, como a capsaína (presente nas pimentas), pode acelerar o metabolismo e auxiliar na queima da gordura. Seus compostos também reduzem a resistência à insulina. E, quando esse hormônio cumpre seu papel de fazer a glicose entrar nas células, ela não fica sobrando no organismo, o que previne picos de fome e estoque de gordura. 
Contraindicações: hipertensos e insones. 

3. Guggul (Commiphora mukul) 
Por que funciona:
 usada na medicina aiurvédica, a planta indiana turbina o metabolismo e ajuda a queimar gordura. Ensaios clínicos mostraram que ela estimula a glândula tireoide, auxiliando na perda de peso. Em estudo conduzido por pesquisadores norte-americanos da Universidade de Nebraska, voluntários que tomaram 750 miligramas por dia e combinaram exercícios aeróbicos com treinos de força três vezes por semana perderam, em média, 3 quilos em 45 dias. Já os que fizeram os mesmos exercícios, mas não consumiram a erva, eliminaram de 250 gramas a meio quilo no mesmo período. 
Contraindicações: pessoas com hipertiroidismo ou doença de Crohn. 

4. Laminaria japonica (Laminaria japonica) 
Por que funciona:
 também conhecida como kombu, essa alga marinha contém fucoxantina, que converte gordura, principalmente a que fica armazenada no abdômen, em energia. Além do efeito termogênico, regula as funções intestinais. 
Contraindicações: pessoas com alterações na tireoide, cardiopatas, hipertensos e em tratamento com corticoides. Pode haver sintomas tóxicos por acúmulo de iodo. 

5. Raspberry ketone (Rubus idaeus) 
Por que funciona:
 os compostos fenólicos da framboesa vermelha têm efeito emagrecedor porque agem sobre a adiponectina, um hormônio produzido no tecido adiposo que controla a ingestão alimentar, entre outras funções. 
Contraindicações: embora seu efeito sobre o metabolismo na redução de gordura corporal tenha sido comprovado em alguns estudos, há muito ainda a ser avaliado acerca de seus efeitos colaterais. 

6. Reischi (Ganoderma lucidum) 
Por que funciona:
 esse cogumelo, originário da China, tem antioxidantes que agem contra processos inflamatórios desencadeados pela gordura e elimina toxinas, que se alojam no tecido adiposo, causando as engordativas inflamações e dificultando a perda de peso. Também auxilia na redução do açúcar no sangue. Menos glicose em circulação é sinônimo de menor quantidade de insulina. A planta ainda melhora a imunidade e aumenta a energia, o que favorece aqueles dois bons hábitos capazes de eliminar quilos a mais: comer direito e fazer ginástica. 
Contraindicações: alérgicos ao cogumelo, pessoas com problemas gástricos que façam uso de aspirina e com pressão alta. Evite tomar após o cafezinho (há o risco de causar agitação). 

7. Spirulina pacífica havaiana (Platensis Arthrospira) 
Por que funciona:
 rica em fibras, ela melhora o funcionamento do intestino e ameniza a fome. Também é lotada de clorofila, pigmento desintoxicante, fundamental na perda de peso.Pesquisas confirmam que essa alga estimula a flora intestinal, favorecendo a ação dos lactobacilos e das bifidobactérias, micro-organismos do bem que habitam o aparelho digestivo, promovendo uma digestão saudável e o bom funcionamento do intestino. Também fornece carboidratos complexos, minerais ( ferro, magnésio, manganês, zinco, cobre, selênio e cromo) e vitaminas do complexo B, A e K. Todos esses predicados fazem da spirulina um suplemento com alto valor nutricional. 
Contraindicações: não são conhecidas.

POSTADO POR: Administrador ÀS 16:47


MARCADORES: dieta

1. Coma de três em três horas 
Essa foi a regra de ouro que Gabriela Pugliesi aprendeu com sua nutricionista, Alessandra Luglio. “Três horas é o tempo máximo que o organismo leva para digerir os alimentos mais complexos do cardápio. Então, após esse intervalo, acaba o combustível. Se o corpo não recebe o reforço necessário, ele trava e começa a dificultar a queima de gordura”, diz a fit girl, que tem 600 mil seguidores no Instagram e agora arrasa no livro Raio X (Réptil Editora). Mais uma dica: as seis refeições do dia devem receber a mesma atenção. “Quando há equilíbrio entre elas, a gente não exagera em nenhuma.” 

2. Beba muita água 
“Eu bebo pelo menos 2 litros por dia”, conta Gabi. “Só quem leva essa regra a sério percebe a diferença na pele (mais luminosa), no cabelo (mais brilhante), no funcionamento do intestino (mais regular) e no metabolismo, que trabalha melhor.” Ela reforça que, em dias quentes e em fases de treinos intensos, a ingestão de líquidos deve ser ainda maior. “Tenho sempre uma garrafa de água por perto. Também preparo em casa chás naturais, sem calorias e sem aditivos, que completam minha cota do dia. Só não valem bebidas calóricas ou com muita química.” 

3. Coma proteína em todas as refeições 
A dica é da Gabi. “Elegi frango, peixe, ovo e queijos leves ou iogurtes. Não tenho nada contra carne vermelha – se eu for a um churrasco, é claro que vou comer. Mas o fato é que a maioria dos cortes tem muita gordura. Já com a carne branca, não tem erro. A questão é: como viver sem o ferro, tão abundante na carne vermelha? Orientada por minha nutricionista, eu capturo o nutriente no ovo”, conta. Outra coisa que a blogueira inclui em todas as suas refeições é salada. “Experimente e aprenda a gostar de folhas. Eu não comia, mas insisti. Hoje em dia, adoro alface, rúcula, espinafre cru. Também sou louca por brócolis e aspargos.” 

4. Monte um kit malhação 
Gabriela adora uma academia. Mas também tem seu kit malhação de emergência, que carrega especialmente em suas viagens. Os acessórios que garantem seus exercícios são: corda para pular; minibands (elásticos pequenos, que ela usa para exercícios de coxas e glúteos); superbands (elásticos maiores que ela usa para movimentos de pernas e braços); TRX (fitas de suspensão para treinos mais complexos); rolinho (para abdominais). “Se você não se considera tão avançada, invista pelo menos no kit básico: tênis de corrida e corda.” 

5. Lute contra o imediatismo 
“As pessoas buscam resultados rápidos em todas as áreas da vida e na musculação não é exceção. Mas não é assim que funciona. Se a Gabi hoje tem o corpo com o qual sonhou um dia, isso é consequência de quatro anos de trabalho sério e consciente”, explica Thiago Pugliesi, personal trainer e marido da blogueira. Ela ficou cerca de um ano trabalhando apenas a base da musculação. E o corpo foi mudando aos poucos. “Jamais desanime: mesmo quem agora treina em um patamar avançado já passou pela fase de preparar os alicerces. Ninguém nasce sarado”, conclui a musa fitness.

POSTADO POR: Administrador ÀS 03:12


MARCADORES: exercicios

 

Elas ainda podem ser consideradas uma novidade por aqui, mas as bebidas vegetais começam a ser encontradas com relativa facilidade em grandes redes de supermercado e lojas de produtos naturais. Apesar de o preço ainda não ser dos mais convidativos, já são uma tendência nos consultórios de nutrição esportiva e funcional. “Seja qual for o vegetal de que são produzidas, têm melhor digestão do que o leite de vaca, que pode prender o intestino, aumentar a distensão abdominal e causar gases até em mulheres saudáveis. Por isso, recomendo um rodízio entre o leite e esses extratos mesmo para quem não tem alergia ou intolerância à versão animal”, diz a nutricionista Vanderlí Marchiori, de São Paulo, vice-presidente da Associação Paulista de Fitoterapia (Apfit). Em tempo: bebidas ou extratos vegetais não podem ser chamados de leite porque, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), essa denominação é exclusiva do alimento extraído de animais.

 

Legislação à parte, o maior acesso aos extratos vegetais tem agradado os especialistas. E não poderia ser diferente. “Há uma década, a bebida de soja era a única opção que tínhamos para ajudar pessoas com intolerância ou alergia ao leite de vaca – o que, dependendo do caso, não era uma solução, já que a proteína da soja também é alergênica, principalmente se ela for transgênica”, diz a nutricionista funcional Andrezza Botelho, de São Paulo. “Hoje, porém, existem as bebidas de soja orgânica, mais saudáveis”, completa a nutricionista Nayara Massunaga, do departamento científico da VP Consultoria Nutricional, em São Paulo. Conheça o poder das bebidas vegetais:

 

Bebida de arroz

Depois da de soja, costuma ser a mais em conta e fácil de encontrar. E as vantagens não param por aí: por ser rica em carboidrato e livre de lactose, colesterol e de uma proteína chamada caseína, dificilmente causa alergia, tem fácil digestão e não provoca desconfortos gástricos. ''A bebida ainda reduz os índices de inflamação do organismo, o que favorece a eliminação de gordura, e é uma ótima pedida para tomar antes do treino, pois contém vitaminas do complexo B que participam do processo de geração de energia'', diz a nutricionista Pâmela Miguel. 

Paladar: A textura é rala e tem o sabor característico do arroz. 

Consumo: Pode ser puro, misturado com café ou batido no liquidificador com nozes, amêndoa ou castanhas, se quiser ingerir mais proteína, ou com cacau a 70% ou frutas vermelhas, para obter antioxidantes. Existem opções industrializadas enriquecidas com amêndoa, avelã e outras oleaginosas. 

Faça em casa: Em uma panela, coloque 2 ½ litros de água, 2 xícaras (chá) de arroz sem lavar, uma pitada de sal e leve ao fogo por 15 minutos. Depois, bata tudo no liquidificador rapidamente, apenas para quebrar os grãos, e passe a mistura numa peneira fina para extrair apenas o líquido. Rende 5 copos.

 

Bebida de soja

É ótima para quem malha. ''Essa é uma das bebidas vegetais que contêm maior quantidade de proteína de boa qualidade, nutriente essencial para o ganho de músculos e para o fortalecimento do sistema imunológico, que se cair pode levar junto sua massa magra'', lembra a nutricionista Pâmela Miguel. Tem ainda as vitaminas do complexo B, que ajudam a gerar energia e disposição, antioxidantes e baixo teor de gordura. ''Deve maneirar no consumo de soja ou pelo menos fazer um rodízio com outras bebidas vegetais quem tem alterações na tireoide e problemas de absorção dos nutrientes, em especial ferro, zinco e cálcio'', completa a especialista. 

Paladar: É intenso e encorpado. 

Consumo: Faz o casamento perfeito com frutas e cereais matinais. 

Faça em casa: Em uma panela, cozinhe 1 xícara (chá) de soja com água por 5 minutos. Escorra o líquido, lave os grãos com água fria e deixe-os de molho por 8 horas. Depois, lave-os novamente em água corrente, bata bem no liquidificador com 5 xícaras (chá) de água filtrada e coe num pano limpo. Coloque o líquido numa panela e cozinhe em fogo baixo por 25 minutos, mexendo de vez em quando para não transbordar. Se quiser, adicione essência de baunilha, canela em pau ou cravo a gosto. Rende 4 copos.

 

Bebida de amêndoas

Queridinha das malhadoras, contém magnésio e cálcio, importantes para a saúde dos ossos e para o processo de contração muscular; vitaminas do complexo B, que participam da produção de energia e melhoram a disposição para o exercício; e gorduras monoinsaturadas. Destaque também para a arginina. ''Esse aminoácido dilata os vasos e melhora a circulação sanguínea, o que não só ajuda no combate à celulite como também garante que mais oxigênio e nutrientes cheguem aos músculos, favorecendo o desempenho físico no treino e a recuperação'', explica Pâmela Miguel. Outras opções são as bebidas à base de avelã e de castanha-do-pará. 

Paladar: É uma das bebidas vegetais mais gostosas, cremosas e adocicadas. 

Consumo: Vai bem com café e cereal. ''Se acrescentar 1 colher de sopa de farinha de coco, você melhora ainda mais a oferta de fibras e torna a bebida perfeita para reduzir o índice glicêmico da refeição'', ensina Lucianna Jardim. 

Faça em casa: Coloque 1 ½ xícara (chá) de amêndoas de molho em 4 xícaras (chá) de água durante 12 horas. Depois, jogue o líquido fora, bata bem as amêndoas no liquidificador e peneire no coador ou filtro de pano. Rende 2 copos. ''Use o bagaço para rechear a tapioca ou fazer uma pastinha, acrescentando sal, ervas e um fio de azeite'', sugere a nutricionista.

POSTADO POR: Administrador ÀS 12:56


MARCADORES: Beneficio do alimento

Categoria
  • - Beneficio do alimento
  • - exercicios
  • - dieta
  • - Serviços
  • - Saiba Mais
  • - Procedimento
  • - Receitas
  • - Convite
  • - Depilação Definitiva
  • - Rejuvenescimento
  • - Promoções
  • - REDUÇÃO DE MEDIDAS
Espaço Derma
no Facebook
HORÁRIOS DE ATENDIMENTOS

08h às 12h/ 14h às 19h

 

Goiânia

Av. T-63, Edifício New World - Salas 915 e 916

62. 3932.8717 | 8121.9424
espacodermagyn@gmail.com